Espaço inaugurado em junho de 1990

Memoria das Contas

Apresentação:

O Projeto Memória das Contas é um projeto que visa resgatar e salvaguardar não só a cultura, mas também a cidadania. Tendo como eixo principal fomentar as várias formas de interação do homem dentro do contexto social, ético, político e religioso de um povo, e através dessa iniciação promover o fortalecimento e resgate de toda uma cultura já estabelecida que ainda assim, torna-se invisível em nossa sociedade. A necessidade de quantificar o povo de terreiro é compreender que sua atuação é importante dentro de nossa comunidade, onde esse trabalho nem sempre é respeitado devido a atos intolerantes que estamos vivenciando nesse novo contexto societário e diante desse processo político-religioso.

A pesquisa e mapeamento das casas religiosas de matriz afro-brasileira visa catalogar e resgatar a história destas instituições, de seus fundadores e suas contribuições as comunidades nas quais estão ou estiveram inseridas. Serão visitadas todas as casas de culto de Umbanda, Candomblé e outras denominações de matriz afro brasileiras dentro da cidade de Volta Redonda sem um prazo estabelecido.

Objetivo:

Quantificar o número de casas de culto abertas e em atividade, verificar sua atuação dentro das comunidades, registrar sua história e de seus membros.

Resgatar a memória das instituições religiosas que existiram e hoje se encontram extintas através de seus remanescentes.

Apresentar e registrar a importância das casas de culto para o crescimento e o desenvolvimento da cidade, das comunidades e do cidadão, criar uma rede de comunicação entre elas, fortalecendo sua identidade e combatendo com isso a intolerância religiosa.

Tornar o Memorial Zumbi um ponto de encontro e eixo das casas de matriz afro brasileira fortalecendo assim o saber ancestral do negro e do índio passado entre as gerações.

Justificativa:

Uma das grandes contribuições do negro para o país além da sabedoria milenar, da lida com metais, agricultura e construções através da força de trabalho, são a cultura e a religião. Dentro da cultura brasileira tão miscigenada, as religiões de matriz afro brasileira contribuem para o resgate da identidade do povo brasileiro, para a afirmação de sua cultura e para uma sociedade mais humana e igualitária. É dentro das comunidades que estão as chamadas casas de axé, onde muitas vezes não chegam as políticas públicas, que vemos a mão do rezador ou da benzedeira ministrar o xarope ou a erva que combate a enfermidade. A cidade de Volta Redonda é a maior em desenvolvimento no sul-fluminense e cresceu pelas mãos de brasileiros de vários estados, resgatar e valorizar esse saber é também resgatar a história do município.

Criar uma rede de contato e de saberes entre as casas religiosas fortalece a identidade de cada uma delas, de seus fundadores ou mantenedores e auxiliar visivelmente no combate a intolerância, esclarecer e legitimar o direito de cada uma delas de exercer sua liberdade de culto.

Fortalecer o vínculo comunidade/casa religiosa e auxiliar em seu reconhecimento social como mantenedor de saberes e cultura.

Combater o processo de “demonização” criado pela ignorância e alimentado pelos que fomentam a intolerância. Promover o combate ao racismo religioso.

Criar um registro Audiovisual, um databook e uma exposição de fotos e acervos.

Público Alvo:

Serão visitadas e catalogadas todas as casas religiosas de matriz afro brasileira sendo ou não legalizadas formalmente, que funcionem continuamente ou que mantenham alguma atividade esporádica. Entender e registrar suas necessidades, sua memória e perspectiva em relação as políticas de combate a intolerância religiosa.

Plano de ação

 

Mapear, catalogar as casas religiosas de matriz africana;

Objetivo

Garantir o cumprimento do preceito constitucional de liberdade de credo;

  Específico

Reconhecer as comunidades de terreiro como agentes de promoção a cultura e cidadania em seus pontos de atuação;
Reconhecer essas mesmas comunidades como irradiadoras de políticas públicas e sociais uma vez que contribuem para a comunidade ao seu entorno e para o respeito à diversidade;
Promover a orientação para a regularização das casas religiosas;
Promover a orientação para a preservação do meio ambiente;
Criar oficinas que fomentem o fortalecimento das Casas de Axé e seus mantenedores.

Ações

Visitar as casas de culto e entrevistar seus fundadores e mantenedores;
Registrar sua importância na comunidade em que está inserida;
Ouvir a comunidade que dela participa. Registrar sua história.

Equipe Envolvida

Coordenação do Memorial Zumbi/ FCP/ Censg/UFF

Início

Abril de 2018

Fim

…..

Metodologia

O desenvolvimento do projeto se dará por meio de um mapeamento, realizado com o intuito de averiguar a quantidade de terreiros existentes no município, com os quais se fará uma pesquisa participativa, com questionário semi-estruturado, e equipamento audiovisual a fim de analisar as necessidades e dificuldades encontradas pelos terreiros perante a sociedade, e quais são as expectativas por parte dos freqüentadores para com as autoridades municipais, relacionando: religião, infra-estrutura, políticas públicas e movimento social.

O levantamento e o conhecimento geográfico dessas comunidades na perspectiva socioeconômica e cultural deverão ser concluídos sem data pre estabelecida. Os dados vão permitir que os programas e ações voltadas à inclusão social possuam recortes específicos relacionados a estas comunidades tradicionais.

Compartilhe com amigos:

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email